Sobre

As imagens que compõem o meu desenho estão relacionadas à vida e, por decorrência, à morte. Falo da natureza humana. Não apenas das escolhas racionais, mas do lado sensível, torto, inconcebível. Falo de emoções: da tristeza e da permanência da alegria. Falo da construção de um mundo matemático, repleto de compassos, com movimento e da quebra deste mundo com a inconsciência, o sonho, o lúdico, o lírico. Ele é o norte do meu trabalho. Os acontecimentos da memória e da vida reinventados me movem. A sobreposição de símbolos, pessoas e seres no mesmo espaço/tempo compõem micro histórias inseridas em uma grande narrativa. A força do inconsciente é vital para fazer pulsar a invenção. Também as diferenças, os opostos, fazem parte desta construção. Tudo tão vida, tão mentira. Levanto um palco para a mise en scène.

Insolência

A vida emoldurada
O cabelo milimétrico
Não posso, eu não
Estou sempre em desalinho
Sou tropeço
Não compreendo meu começo
Tampouco sei onde termino
Sou fumaça sem contorno
Sou fruto do combustão
Sou poluente